FARFARM discute a importância da Agrofloresta Têxtil no Fórum Febratex de Informações – FEBRATEX – Feira Brasileira para a Indústria Têxtil
FEBRATEX - Feira Brasileira para a Indústria TêxtilNOTÍCIASTextil FARFARM discute a importância da Agrofloresta Têxtil no Fórum Febratex de Informações

FARFARM discute a importância da Agrofloresta Têxtil no Fórum Febratex de Informações

Há um ano, a partir de uma conexão com o trabalho da designer de moda Larissa Duarte com fibras naturais e agroflorestas têxteis, surgia a FARFARM e a ideia inovadora de desenvolver fibras e tecidos a partir da Agrofloresta. A startup foi criada por Beto Bina (estratégia de negócios), Felipe Villela (engenheiro e agrofloresteiro), Pedro Saldanha (advogado ambientalista) e Werner Kinas (finanças), quatro amigos com uma paixão por sustentabilidade que passaram a  pesquisar sobre técnicas de permacultura e agrofloresta.

Dentro da proposta de apresentar e discutir os principais temas que movimentam a cadeia produtiva têxtil atual,  o Fórum Febratex de Informações, que acontece em paralelo à feira, destaca a participação da FARFARM com seu projeto de desenvolver fibras e tecidos a partir da Agrofloresta. A moda foi escolhida como principal segmento de atuação da FARFARMpor ser uma das indústrias mais poluentes do planeta, criando uma oportunidade de mercado a partir de sua transformação para o universo da sustentabilidade.

Projetos

Estão sendo realizados três projetos pela FARFARM: um protótipo de Agrofloresta Têxtil plantada na Amazônia, no estado do Pará, junto ao Centro de Empreendedorismo da Amazônia (vencedor da competição Programa Amazônia Up, dirigido a startups sociais);  o segundo projeto foi um protótipo de produto, um tapete feito de juta, banana e algodão em parceria com o estúdio de design RatoRói, de Jaraguá do Sul (SC); o terceiro projeto é o trabalho de representação na cidade de Nova Iorque (EUA) de parceiros têxteis que já desenvolvem tecidos sustentáveis e que no futuro irão utilizar as fibras de Agroflorestas plantadas pela FARFARM .

A Agrofloresta Têxtil na Amazônia está sendo desenvolvida no município de Santa Bárbara do Pará, próximo a Belém, como resultado de três parcerias: o Centro de Empreendedorismo da Amazônia; um dos mentores do programa César de Mendes, que conhece a comunidade e as áreas de plantio; e a ONG ReNature, especializada no desenvolvimento de Agroflorestas.

Beto Bina declara: “Outro objetivo de visão futurista da empresa é ensinar, às comunidades ribeirinhas e cooperativas da região Amazônica, como desenvolver a Agrofloresta, para que possam tirar alimento para consumo e ajudarem a desenvolver fibras têxteis que possam gerar uma renda extra para suas propriedades”.

FARFARM conta com incentivo do Centro de Empreendedorismo da Amazônia e busca mais investimentos para financiar as Agroflorestas, sua pesquisa e desenvolvimento. Avalia também oportunidades advindas de incentivos legais e de Programas de Pagamentos por Serviços Ambientais (PSA).

Natureza colaborativa

Pedro Saldanha declara: “Em seus mais de 3.5 bilhões de anos de existência, a natureza se desenvolveu através de diversas manifestações, testando e adaptando sistemas, com as espécies colaborando entre si desde sempre. Entretanto, o homem, com a sua visão oportunista e de curto prazo, começou a desenvolver a monocultura, que é um sistema desequilibrado, pois a natureza não foi feita para desenvolver uma espécie apenas”.

Assim, a própria natureza busca sua “correção”, que acontece através de pestes, necessidade de fertilizantes e a própria degradação do solo como um sinal e um sintoma de natureza doente. O modelo de Agricultura Sintrópica, através da Agrofloresta, busca desenvolver justamente o que a natureza sempre fez, ou seja, colaborar uma espécie com a outra através da troca de substâncias pelas raízes (como nitrogênio e fósforo, entre outros)  e a relação de sombra, vento e sol pela copa das árvores, entre muitos outros sistemas complexos. “Nós usamos essas otimizações da natureza para crescer fibras têxteis. Gostamos de definir como “o coding (programação de software) da vida real”, resume Beto Bina.

Inspirado na natureza, o plantio na Agrofloresta Têxtil da FARFARM  é projetado para fazer as espécies colaborarem umas com as outras,  cultivando fibras naturais como algodão, juta, rami, banana e abacaxi sem o uso de produtos químicos.

Palestra

A FARFARM estará presente no Fórum Febratex de Informações, no dia 21 de agosto (terça-feira), às 20h00, com a palestra Agrofloresta Têxtil: fibras vegetais e tecidos que regeneram a floresta amazônica, apresentando o seu case sobre como manter a floresta em pé e alavancar o desenvolvimento sustentável. A palestra é gratuita, com acesso livre até a lotação da sala. Para a participação, é necessário realizar o credenciamento prévio para a feira, através do link http://febratex.fcem.com.br/inscricoes. Vale reforçar que o credenciamento para a Febratex 2018 não garante a participação no Fórum, que tem número limitado de vagas.

Credenciamento

Profissionais do setor, compradores e visitantes interessados na Febratex 2018 podem fazer o credenciamento, gratuitamente, pelo site http://febratex.fcem.com.br/inscricoes. O  credenciamento online pode ser realizado até às 23h59 do dia 19.08.2018. Após esta data, será cobrado ingresso no valor de R$ 30,00, que poderá ser adquirido a partir das 14h00 do dia 21.08.18, na bilheteria da Febratex. Visitantes de edições anteriores também deverão atualizar o cadastro no site e confirmar novamente sua inscrição. É proibida a entrada de menores de 14 anos, mesmo acompanhados dos pais e/ou responsáveis.

Translate »